PORTAL DEMOCRACIA
Internacional Manchete Pandemia

Vaticano impõe uso obrigatório da máscara PFF2, além de novas restrições

mascara pff2

Segundo informações publicadas na manhã desta quinta-feira (13) no Uol, o Vaticano deve impor novas restrições para quem não está vacinado contra a covid-19 e para recém-curados da doença. Uma das determinações é o uso obrigatório da máscara PFF2 – cientificamente comprovada a melhor para a proteção contra a variante Ômicron – em todos os ambientes fechados.

Máscara PFF2 é a mais segura na proteção contra a variante Ômicron

De acordo com o pesquisador da Universidade de Vermont e membro do Observatório COVID-19BR, Vitor Mori, máscaras de pano ou cirúrgicas não são suficientes para garantir a proteção conta a variante, sendo a máscara PFF2 a mais indicada nesse caso. Para o especialista, como a variante Ômicron é mais transmissível, as pessoas precisam usar uma máscara de qualidade maior, para “acompanhar o risco.”

máscara pff2
Foi cientificamente comprovado que a máscara PFF2 é a mais indicada para proteger da variante Ômicron. | Foto: Freepik

As novas deliberações do Vaticano estão em uma normativa assinada no dia 5 de janeiro, pelo presidente do Governo da Cidade-Estado, arcebispo Fernando Vérgez Alzaga, e por sua secretária-geral, a irmã Raffaella Petrini. Entre as definições também está a suspensão das viagens a trabalho e a exigência do “passe verde reforçado” para todos os visitantes de pontos turísticos bem como participantes de congressos.

A partir de 31 de janeiro, funcionários também deverão apresentar o comprovante e, caso não o possuam, poderão ser considerados “faltosos sem justificativa” e terão os salários suspensos durante a ausência. O “passe verde reforçado” é um certificado obtido por quem já está completamente vacinado e para quem se curou da covid-19 há menos de seis meses.

Dessa forma, funcionários não vacinados não terão permissão para entrar no Vaticano, mesmo que apresentem teste negativo para covid-19. Ainda, até o final do mês, os não imunizados que tiverem algum contato com caso positivo da doença, poderão voltar ao trabalho apenas após 10 dias de isolamento e teste negativo de covid-19.

 

Se o colaborador estiver vacinado com duas doses há mais de quatro meses, deverá cumprir quarentena de apenas cinco dias e retornar ao trabalho mediante teste de covid-19 negativo. Já os vacinados com duas doses há menos de 120 dias ou com a dose de reforço poderão voltar ao trabalho somente com o uso da máscara PFF2, tanto em ambientes fechados como abertos.

Related posts

Homem que invadiu castelo de Elizabeth II queria “assassinar a rainha”

Rafaele Oliveira

Fiocruz descarta mal da vaca louca em dois pacientes do RJ

Rafael Bruza

Ministra Damares Alves testa positivo para covid-19, diz assessoria

Rafaele Oliveira

Leave a Comment