PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Pandemia Saúde

Taxa de transmissão de Covid desacelera no Brasil

ômicron pfizer vacina taxa de transmissão

De acordo com novos dados divulgados pela Imperial College de Londres nesta terça-feira (01), a taxa de transmissão de Covid no Brasil desacelerou na última semana (31-25) em comparação com a semana passada. Na última semana, a taxa de transmissão ficou em 1,69, enquanto na semana anterior (24-18), como reportado pela Imperial College no último dia 25, a taxa de transmissão era 1,78, a maior desde julho de 2020.

Na terça-feira (18), a Imperial College tinha reportado que a taxa de transmissão da semana anterior tinha ficado em 1,35. Essa foi a primeira semana do ano a faculdade calculou a taxa de transmissão brasileira, já que ficaram sem calcular os índices de transmissão do Brasil desde o começo de dezembro 2021 por causo do apagão de dados do Ministério da Saúde.

O que representa a taxa de transmissão?

Por mais que seja sempre bom ver um número relacionado ao Covid diminuindo, você sabe exatamente o que é a taxa de transmissão?

A taxa de transmissão nada mais é do que uma maneira de representar a capacidade de transmissibilidade do vírus. Se atualmente a taxa de transmissão do vírus é de 1,69, isso significa que para cada 100 pessoas infectadas, elas podem transmitir o vírus para outras 169. Esse número pode ser maior (até 1,96) ou menor (1,63) por ser uma aproximação estatística. Nesses cenários, para cada 100 pessoas infectadas, o vírus se transmitiria para 196 e 163 pessoas, respectivamente.

pandemia
Taxa de transmissão desacelerou na última semana | Foto: Pixabay

Média móvel de casos bate recorde

Enquanto a taxa de transmissão desacelera, a média móvel de casos bate recordes. Na última segunda-feira (31), Brasil registrou 102.616 novos casos de Covid-19 em 24 horas, chegando ao total de 25.454.105 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia. Com esses novos casos, a média móvel de casos do Brasil sobe para 188.451, a maior desde o começo da pandemia.

Comparando com a média de 14 dias atrás, a variação foi de 125%, ou seja, a média móvel mais que dobrou.

Além de registrar alta de casos, o Brasil também registrou uma nova alta no número de mortes. Foram 442 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 627.365 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 565, sendo a maior registrada desde 18 de setembro de 2021.

Comparando com a média de 14 dias atrás, a variação foi de 205%.

Related posts

Ômicron: EUA vai ampliar a vacinação para barrar nova variante

João Baricatti

Testes de Covid podem acabar, alerta associação de laboratórios

João Baricatti

Conselho universitário recomenda expulsão de aluna que ironizou morte de paciente

João Baricatti

Leave a Comment