PORTAL DEMOCRACIA
Crime Manchete Saúde

Renato Kalil, médico das famosas, é investigado por violência obstétrica

renato kalil e pacientes que o denunciaram

Renato Kalil, médico obstetra famoso por atender personalidades famosas, está sendo investigado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) e pelos hospitais São Luiz e Einstein, onde trabalha, após denúncias de violência obstétrica.

Em áudios vazados nas redes sociais no início dessa semana, a influenciadora digital Shantal Verdelho, narrou a violência que sofreu do médico Renato Kalil, durante o parto de sua segunda filha, Domênica, nascida em setembro.

A influenciadora Shantal foi a primeira a denunciar Renato Kalil

Segundo Shantal, o obstetra usou palavrões contra ela durante o parto, além de ter exposto suas partes íntimas para o pai da criança, o rapper Mateus Verdelho, e para toda a equipe médica que estava presente na sala. Verdelho chegou a gravar o parto com uma câmera GoPro e o registro contém as provas do relato de Shantal.

“Quando a gente assistia ao vídeo do parto, ele me xinga o trabalho de parto inteiro. Ele fala ‘P****, faz força. Filha da mãe, ela não faz força direito. Viad****. Que ódio. Não se mexe, p****’… depois que revi tudo, foi horrível”, comenta a influenciadora, em trecho do áudio vazado.

Além dos comentários de baixo calão que ouviu durante o parto, Shantal revela que o médico teria chamado o seu marido para ver como teria ficado a região íntima da esposa, após dar à luz Domênica. “Ele chamou meu marido e falou: ‘Olha aqui, toda arrebentada. Vou ter que dar um monte de pontos na perereca dela’. […] Ele não tinha que mostrar isso para o Mateus. Isso é uma intimidade minha. Ele nem sabe se eu tenho tamanha intimidade com meu marido”. Tem gente que não tem”, contou.

Os áudios vazados nas redes sociais foram enviados por Shantal a amigos e familiares próximos, em tom de desabafo, mas agora podem ser usados na investigação contra o ginecologista. Em sua conta no Instagram a influenciadora lamentou o vazamento e pediu compreensão, visto que “o assunto é intimo e constrangedor.”

Procurado pelo G1, o obstetra Renato Kalil se pronunciou através de comunicado oficial. “O parto da Sra. Shantal aconteceu sem qualquer intercorrência e foi elogiado por ela em suas redes sociais durante trinta dias após o parto”, diz trecho da nota. Shantal disse que, por conseguir realizar o seu sonho de ter um parto normal, saiu realmente feliz do hospital. Segundo ela, o baque da violência obstétrica só veio depois de assistir ao vídeo gravado pelo marido.

A jornalista Samantha Pearson também afirma ter sofrido violência obstétrica do médico

Após o relato de Shantal Verdelho vir à tona, a jornalista britânica Samantha Pearson, correspondente do The Wall Street Journal no Brasil, afirmou que também sofreu violência obstétrica do médico Renato Kalil. Em entrevista ao jornal O Globo, Pearson contou que passou por episódios de assédio moral, principalmente na gravidez de sua segunda filha, nascida em 2020. “Ele falava da minha vagina como se eu não estivesse ali. Foi horrível”, revelou.

Além disso, ela conta que, certa vez, em uma consulta com Kalil, no oitavo mês de gestação, o obstetra teria comentado na frente de toda a equipe que Pearson teria que emagrecer, “porque senão seu marido vai trair você”. O comentário deixou a jornalista arrasada. “Meu marido estava lá e sempre percebi que o que ele queria o tempo todo era agradar meu marido, como se eu, a paciente, não estivesse lá”.

Escritora Tati Bernardi também narrou episódio de machismo envolvendo Kalil

A escritora Tati Bernardi também se manifestou em relação às atitudes do médico Renato Kalil. No que considerou ser um episódio de machismo, Bernardi declarou que, em uma consulta, Kalil expôs a própria mulher e também outras pacientes.

“Fui em uma única consulta com esse médico e nunca mais voltei. Ignorou o que eu falava e só falava dele mesmo. Expôs a própria mulher e outras pacientes em histórias que contou”, disse a autora. “Não quis me examinar porque a equipe dele fazia isso para ele, que era chique demais para pré-natal (ainda bem que nunca colocou a mão em mim)”, escreveu, em uma postagem no Instagram.

A escritora ainda revelou que relatou o episódio com Renato Kalil em uma crônica que escreveu em 2017, para o jornal Folha de S. Paulo, onde é colunista. “Na época escrevi uma crônica para a Folha contando a experiência, mas sem dar nomes, e ele ficou doido, falando mal de mim para as pessoas próximas”, concluiu.

Related posts

Mark Zuckerberg perde US$ 28 bilhões em um dia

João Baricatti

Justiça condena coronel a pagar R$ 25 mil por ataques homofóbicos contra outro policial

Rafael Bruza

Lula presta solidariedade a Cid e Ciro Gomes após ação da PF: “Tiveram suas casas invadidas sem necessidade”

Rafael Bruza

Leave a Comment