PORTAL DEMOCRACIA
Economia Manchete Política

Petrobras decide dobrar pagamento a acionistas após lucrar R$ 31,1 bi

petrobras-decide-dobrar-pagamento-a-acionistas-apos-lucrar

No terceiro trimestre de 2021, a Petrobras registrou lucro de R$ 31,1 bilhões e decidiu dobrar os dividendos distribuídos a seus acionistas, que vão chegar a R$ 63,4 bilhões no ano, segundo a Folha de SP.

O lucro acumulado da empresa em 2021 chegou a R$ 75,1 bilhões. No final do primeiro trimestre deste ano, a Petrobras distribuiu a acionistas R$ 31,6 bilhões. Nesta quinta-feira (28), a direção da empresa foi além e propôs pagar mais R$ 31,8 bilhões a acionistas.

“Atingimos nossa meta de endividamento muito antes do planejado e estamos dividindo parte das riquezas geradas com a sociedade e nossos acionistas através de impostos, dividendos, criação de empregos e investimentos”, disse o presidente da estatal, o general Joaquim Silva e Luna.

Impulsionada pelos preços dos combustíveis e melhores vendas, a receita da Petrobras foi de R$ 121,6 bilhões no terceiro trimestre, um aumento de 72% do registrado no mesmo período de 2020.

A decisão de dobrar a remuneração a acionistas ocorre na semana em que a Petrobras anunciou mais um aumento no preço dos combustíveis.

Com o novo aumento, a gasolina acumula alta de 73% no ano e o diesel em 65,3%. Segundo a Petrobras, os reajustes nos preços garantem que o mercado continue sendo atendido e sem riscos de desabastecimento.

Bolsonaro mente ao dizer que a lei obriga a Petrobras a aumentar preços de combustíveis

Pressionado pela ameaça de greve de caminhoneiros e queixas da população, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mentiu nesta quinta-feira (28), em transmissão ao vivo nas redes sociais, ao dizer que a Petrobras “é obrigada” a aumentar o valor dos combustíveis.

“Eu não aumento, a Petrobras é obrigada a aumentar o preço porque ela tem que seguir a legislação”, afirmou o presidente.

Não existe uma legislação específica que obrigue a direção da Petrobras a aumentar o preço dos combustíveis. O que existe é a política de preços da Petrobras, que pode ser modificada pelo Governo Federal – como exige o setor de caminhoneiros ao fazer ameaça de greve.

A atual política de preços da empresa foi implementada no Governo Temer, em 2016, que vinculou o valor dos combustíveis na Petrobras aos preços do petróleo no mercado internacional, em dólar.

Com a desvalorização do Real em relação à moeda estadunidense, os preços de combustíveis dentro do Brasil ficam mais caros.

Apesar de distorcer informações sobre a possibilidade de o Governo Federal mudar a política de preços da Petrobras, Bolsonaro também criticou na live o a forma que a empresa determina o valor de combustíveis.

“Nós estamos tentando aqui buscar maneiras de mudar a lei nesse sentido. Porque não é justo você viver num país que paga tudo em real, é um país praticamente autossuficiente em petróleo e tem o preço do seu combustível aqui atrelado ao dólar”, afirmou. “Tem que ser uma empresa que não dê um lucro muito alto, como tem dado. Porque, além de lucro alto para acionistas, a Petrobras está pagando dívidas bilionárias de assaltos que aconteceram há pouco tempo”.

Na transmissão, Bolsonaro voltou a dizer que o Governo Federal estuda a privatização da Petrobras e, ao mesmo tempo, defendeu que a empresa tenha “viés social”.

“Falei pro Paulo Guedes [ministro da Economia] botar a Petrobras no radar de uma possível privatização. Se é uma empresa que exerce o monopólio, ela tem que ter o seu viés social, no bom sentido”, afirmou o presidente.

Related posts

Covid-19: Bolsonaro diz que sua filha de 11 anos não irá se vacinar

Rafaele Oliveira

Padre critica “ditadura da imbecilidade” de Bolsonaro e a “corja miserável que está sangrando nosso país”

Rafael Bruza

Em Petrópolis (RJ), já são 78 mortos por causa das fortes chuvas

Rafaele Oliveira

Leave a Comment