PORTAL DEMOCRACIA
Brasil Crime Manchete

Pastora é ameaçada de morte por realizar casamento homoafetivo

pastora-e-ameaçada-de-morte-por-realizar-casamento-homoafetivo

A teóloga e pastora Odja Barros e sua família vêm sofrendo ameaças de morte por conta da celebração de um casamento homoafetivo que ela realizou para duas mulheres em Maceió (AL).

Ela relata que as ameaças foram feitas por áudios e mensagens enviadas diretamente para seu perfil de Instagram, onde um homem que disse ser de Maceió ameaçou matá-la com “cinco tiros na cabeça” por conta da realização do casamento.

“Disse que ia me matar, que iria atirar na minha cabeça. Disse que sabe onde estou e quem são as pessoas próximas a mim. Isso ultrapassou o que eu, até então, estava administrando de mensagens de ódio”, relatou Odja Barros à Gazetaweb.

Nas mensagens enviadas diretamente à pastora, o suspeito também enviou fotos em que mostrava uma arma ao lado de uma bíblia, em tom de ameaça.

“Ele se diz religioso, cristão. Mandou foto com a arma e a bíblia. Esse tipo de comportamento tem se multiplicado nesse ambiente fundamentalista religioso que estamos vivendo. Não podemos mais ficar recebendo esse tipo de coisa e dizer ‘tá bom’, precisamos reagir”, afirma Odja Barros.

A pastora Odja Barros registrou um Boletim de Ocorrência contra as ameaças. Nesta quarta-feira (15), ela se reuniu com o delegado-geral da Polícia Civil do estado para tratar do caso. Um dia antes, a pastora e a família também estiveram na Secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) para formalizar uma denúncia contra o sujeito.

Ao G1 (Grupo Globo), o pastor Wellington Santos, que é marido de Odja Barros e frequenta a Igreja Batista do Pinheiro e esposo de Odja, a família toda está assustada com as ameaças.

“Desde 2016 nós somos criticados pelo nosso trabalho junto às minorias, até campanha pessoal contra nós foi realizada. Mas quando isso toma essa proporção, de alguém ameaçar dar cinco tiros na cabeça da minha esposa, e cita que está monitorando minha família, nos dá a certeza que estamos vivendo uma barbárie. O debate deve acontecer no campos da ideias, quando as discordâncias viram ameaças de morte, é sinal disso”, relatou o pastor.

A filha da pastora – que preferiu ter a identidade escondida– fez uma série de publicações nas redes sociais onde relata que as ameaças começaram após notícias informarem sobre a realização do casamento homoafetivo.

“È isso que o fundamentalismo religioso faz com as pessoas, ele diz que vai colocar uma arma na boca da minha mãe!! Eu tô sem chão com tudo isso”, afirmou uma filha da pastora.

Além da ameaça feita pelo homem que diz ser de Maceió, a filha da pastora relata que ela vem recebendo “uma enxurrada de comentários e ameaças” no Instagram.

“Minha mãe é a pastora Odja Barros, doutora e teóloga feminista a mais de 20 anos. Desde a veiculação da notícia de que celebrou um casamento homoafetivo vem sofrendo uma enxurrada de comentários e ameaças no seu Instagram. O ódio religioso é terrível”, lamentou a jovem. “A minha mãe recebeu ameaça de morte no Instagram dela. Um louco que se diz de Maceió, mandou foto de arma, áudios dizendo que estava monitorando ela e a família, que vai dar cinco tiros na cabeça dela por celebrar um casamento homoafetivo”.

O pastor Wellington se diz especialmente chocado porque as ameaças chegaram até as filhas deles.

“Estamos tomando todas as providências para que isso não siga adiante. Que pessoas são essas que ameaçam de morte pela fé?”, questiona.

Related posts

Bolsonaro trata distribuição gratuita de absorventes como “Auxílio Modess”

Rafael Bruza

Primavera Sound anuncia edição em São Paulo

João Baricatti

Halo solar: fenômeno aconteceu em Pernambuco e encantou moradores

Rafaele Oliveira

Leave a Comment