PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Pandemia Saúde

OMS pede que todos cancelem as festas de fim de ano

oms festas fim de ano ômicron

Mesmo tendo sido detectada há um mês, a Ômicron já mudou a perspectiva do mundo em relação ao Coronavírus. O que parecia controlado, agora, já não parece mais tão sob controle. Em resposta ao poder de expansão da nova variante, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez uma solicitação para o mundo: cancelem as festas de fim de ano.

O pedido foi feito pelo atual diretor-geral da Organização, Tedros Adhanom, em uma entrevista coletiva realizada na última segunda-feira (20). Tedros disse: “Todos queremos passar tempo com a família e amigos. Mas um evento cancelado é melhor do que uma vida cancelada“, e completou “É melhor celebrar mais tarde do que celebrar agora e chorar depois”.

Ele alerta que as festas de fim de ano acabam gerando aglomerações e que isso pode levar a um “aumento de casos, à sobrecarga dos sistemas de saúda e a mais mortes”.

Todos nós queremos voltar ao normal. A forma mais rápida de conseguir passa pela tomada de decisões difíceis, por líderes, para defender a todos. Em alguns casos vai significar cancelar ou adiar eventos“, disse o diretor-geral da OMS.

ômicron covid oms
Segundo a OMS, a Ômicron já está presente em quase 90 países (Imagem: Reprodução)

Um dos principais riscos da nova variante é o da reinfecção. A Ômicron se mostrou muito mais efetiva do que outras variantes, como a Delta, por exemplo.

Dessa maneira, a OMS considera “insensato” considerar a Ômicron como uma variante mais “branda”. De acordo com Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS: “É insensato pensar que esta é uma variante branda, que não causará doenças graves, porque com os números aumentando, todos os sistemas de saúde estarão sob pressão“.

Se 70% da população mundial estiver vacinada no ano que vem, pandemia pode terminar, diz OMS

Mesmo diante de um cenário ruim, a OMS deu uma boa notícia: se 70% da população mundial estiver vacinada no ano que vem, a pandemia pode terminar.

Segundo Mike Ryan, principal especialista em emergências da OMS: “Nós esperamos que essa doença passe a ser relativamente branda, que seja facilmente prevenida, que seja facilmente tratada”. Ele acrescenta: “Se conseguirmos manter a transmissão do vírus ao mínimo, poderemos acabar com a pandemia“.

Related posts

Bolsonaro ironiza acidente em SP: “transposição do Tietê”

João Baricatti

Ataque hacker impede SUS de emitir certificados digitais de vacinação

Rafael Bruza

Bolsonaro diz que não tomou a vacina e insiste em “passado atlético”

Rafaele Oliveira

Leave a Comment