PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Pandemia Política

Negacionista, conspiracionista e ‘guru’ do Governo, Olavo de Carvalho morre aos 74 anos

negacionista-conspiracionista-e-guru-do-governo-olavo-de-carvalho-morre-aos-74-anos

O escritor de extrema-direita Olavo de Carvalho morreu nesta segunda-feira (24) aos 74 anos, segundo publicação divulgada em seus perfis nas redes sociais.

De acordo com a nota, Olavo faleceu em Richmon, na Virgínia (EUA), onde estava hospitalizado.

A causa da morte não foi informada, mas o autor foi diagnosticado com covid-19 em meados de janeiro.

Segundo publicações de Heloisa de Carvalho– filha do autor crítica de sua atuação – ele não havia se vacinado contra a doença. No dia 15, Olavo chegou a cancelar aulas no curso virtual que realizava. Ele deixa a esposa Roxane, 8 filhos e 18 netos.

Autointitulado filósofo, Olavo teve forte influência na ascensão da “direita alternativa” ao poder no Brasil, representada pelo Governo de Jair Bolsonaro (PL). O autor chegou a indicar ministros de Estado, como os ex-ministros da Educação, Ricardo Vélez Rodrigues e Abraham Weintraub, além do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

No entanto, ele perdeu espaço no governo a medida que militares e políticos do centrão ganharam poder.

O autor também era considerado ideólogo e “guru” do Governo Bolsonaro por ter popularizado bandeiras bolsonaristas, como a defesa de políticas de armamento da população, a guerra cultural e a indústria de fake news – Olavo chegou a prestar depoimento à Polícia Federal no âmbito do inquérito que investiga a existência de uma milícia digital para atacar as instituições e a democracia.

O escritor também era conhecido por espalhar teorias da conspiração e pelo negacionismo em relação à gravidade da pandemia da covid-19.

Em maio de 2020, ele escreveu nas redes sociais: “O medo de um suposto vírus mortífero não passa de historinha de terror para acovardar a população e fazê-la aceitar a escravidão como um presente de Papai Noel.”

Em abril de 2020, o escritor disse: “Essa campanha para nos “proteger da pandemia” é o mais vasto e mais sórdido crime já cometido contra a espécie humana inteira.”

Ele também pregava medidas extremistas baseadas em suas teorias da conspiração.

Em 2019, Olavo sugeriu que o então ministro da Justiça, Sergio Moro, fizesse a cassação de partidos políticos que participam do Foro de São Paulo – entidade que ele superdimensionava em suas análises para denunciar a suposta existência de um plano mundial comunista promovido pela China, grandes empresas e grandes bancos.

“Os que pertencem ao Foro de São Paulo não têm nenhum direito de estar no parlamento. Esses partidos legalmente não existem porque ferem o preceito da nossa lei eleitoral segundo qual os partidos brasileiros não podem estar filiados a organizações estrangeiras”, afirmou.

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte do escritor em suas redes sociais.

“Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do nosso país, o Filósofo e Professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi um gigante na luta pela liberdade e um farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre. Que Deus o receba na sua infinita bondade e misericórdia, bem como conforte sua família”, comentou o presidente nas redes sociais.

Related posts

Lula e Alckmin podem fazer campanhas separadas para Haddad e França em SP, diz jornal

Rafael Bruza

Grammy 2022: confira os indicados ao prêmio

João Baricatti

Lula presta solidariedade a Cid e Ciro Gomes após ação da PF: “Tiveram suas casas invadidas sem necessidade”

Rafael Bruza

Leave a Comment