PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Pandemia Saúde

Governo de SP compra 2 milhões de testes rápidos para a covid-19

testes rápidos covid

Durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, nesta quarta-feira (12), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou a compra de 2 milhões de testes rápidos para a covid-19. Esse tipo de testagem possui 98% de efetividade e o resultado sai em apenas quinze minutos.

De acordo com Doria, a medida visa ampliar o monitoramento de casos de coronavírus e diferenciar os dados de covid-19 dos de influenza. Os testes rápidos deverão custar 12 milhões de reais e serão disponibilizados aos municípios paulistas até o próximo mês.

“São Paulo liberou R$ 12 milhões para a aquisição de mais 2 milhões de testes rápidos que estarão disponíveis na rede até fevereiro. Os testes funcionam como uma bússola para diagnóstico rápido e ação efetiva para controle da doença”, declarou Doria.

Segundo apurado pela revista Veja, o Ministério da Saúde já distribuiu 2,5 milhões de testes rápidos, só de novembro para cá. Além disso, dados preliminares mostram que, até o final de dezembro de 2021, cerca de 22,4 milhões de testes foram realizados. O estado de São Paulo é o que mais testa no Brasil.

Além dos testes rápidos, novas medidas de restrições foram anunciadas por Doria

Durante a coletiva, Doria também anunciou novas medidas de restrições para grandes eventos no estado de São Paulo. Conforme o governador, a recomendação é reduzir a 70% o limite de ocupação em estádios e shows, além da exigência do comprovante de vacinação completa.

“Após a constatação de uma alta elevação no número de casos de covid-19 em São Paulo e deliberação dos médicos, o governo decidiu recomendar que organizadores de eventos públicos, principalmente musicais e esportivos, que reforcem medidas preventivas para evitar a disseminação da covid”, disse o governador.

O uso de máscaras também foi prorrogado até o dia 31 de março, em ambientes abertos ou fechados. A importância da vacinação também foi ponto alto da entrevista coletiva. Segundo João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência Contra a Covid-19 de São Paulo, a maior parte das pessoas internadas nos leitos de UTI não foram imunizadas contra a covid-19.

“Estamos enfrentando uma pandemia dos não vacinados, dos que não completaram a vacinação e das crianças não vacinadas. Esses dois grupos são os responsáveis por esse acréscimo que vislumbramos no número de internações e de casos”, afirmou Gabbardo.

Related posts

Apesar do aumento de casos, Suécia “não vê benefício” em vacina infantil

Rafaele Oliveira

Rússia anuncia retirada parcial das tropas da fronteira da Ucrânia

João Baricatti

Jovem que matou 2 pessoas em ato antirracista nos EUA tem crise de choro no julgamento

Rafael Bruza

Leave a Comment