PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Política

Freixo apaga publicação que irritou o PSB por tratar Haddad como candidato em SP

freixo-apaga-publicacao-que-irritou-o-psb-por-tratar-haddad-como-candidato-em-sp

O deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) apagou uma publicação na noite desta terça-feira (04) que gerou insatisfação em seu partido por tratar o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) como candidato ao governo de São Paulo.

Negociando alianças com o PT há meses, o PSB insiste que o PT retire a candidatura de Haddad para apoiar o ex-governador Márcio França (PSB) no Estado – neste sentido, a exaltação da candidatura de do ex-prefeito fortalecia a vontade do PT nas negociações.

A publicação de Freixo nas redes sociais mostrava uma foto dele ao lado de Lula e Haddad, com o título de uma notícia do portal Extra que diz: “Haddad e Freixo na dianteira para ocupar palanque de Lula no Rio e SP em 2022”.

A matéria em questão trata sobre uma reunião entre Lula, Haddad, Freixo e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (RS) em que o ex-presidente da República “foi direto ao ponto”, apontando que “pretende contar com Freixo e Haddad (e não França)” para ter aliados no governo do RJ e SP ao mesmo tempo.

Postagem de Marcelo Freixo nas redes sociais desagradou a direção do PSB
A publicação de Marcelo Freixo que gereou insatisfação no PSB e foi apagada

O post desagradou alas do PSB que já estavam insatisfeitas com a postura do PT nas negociações eleitorais, em especial no caso dos diretórios de São Paulo e do Rio Grande do Sul.

O presidente do PSB, Carlos Siqueira, foi um dos peessebistas que desaprovou a publicação, segundo a coluna de Guilherme Amado no Metrópoles.

Pouco antes da virada do ano, Siqueira já mostrava insatisfação em público com o PT sobre as “demandas” de seu partido – que incluem a retirada da candidatura de Haddad e apoio a França – e chegou a cobrar apoio da sigla.

“Aliança pressupõe acordo entre partes e temos disposição para fazer esse acordo, mas isso pressupõe a reciprocidade de ambos os lados. Há muitos meses colocamos para o PT as demandas do PSB e até agora não tivemos resposta sobre nenhuma delas”, queixou-se Siqueira em 27 de dezembro.

As negociações entre PT e PSB são tratadas com frequência na imprensa pela possibilidade de que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (sem partido), se filie ao partido para concorrer às eleições de 2022 como vice de Lula.

Freixo, a sua vez, deixou o PSOL em junho de 2021 para ser candidato ao governo do Rio de Janeiro com apoio do ex-presidente Lula, independentemente do desfecho das negociações entre PT e PSB.

Related posts

Bento XVI acobertou casos de pedofilia na Alemanha

João Baricatti

Moro sobre Lula e Alckmin: “comemorativo da impunidade da grande corrupção”

Rafaele Oliveira

Relatório confirma importância da dose de reforço contra Ômicron

João Baricatti

Leave a Comment