PORTAL DEMOCRACIA
Cultura

Fantasias de Halloween: O que evitar?

fantasia halloween

Fim de outubro é época de Halloween! Mesmo não tão famoso, nem tão disseminado no Brasil quanto o Carnaval, a festa importada dos Estados Unidos tem um objetivo: a diversão fantasiada. Ano passado, em decorrência da Covid-19, essas festas não existiram mas, com o avanço da vacinação no país, elas devem ser comuns nesse ano! Pensando nisso, nós, do PORTAL DEMOCRACIA, decidimos montar uma lista com algumas fantasias de halloween que devem ser evitadas. Quer saber por quê? Vem que nós te explicamos!

O que significa se fantasiar?

Quando você se fantasia de algo, você está assumindo a posição daquela pessoa. Logo, uma coisa é se fantasiar de Luke Skywalker, já, se fantasiar de indígena, por exemplo, é outra completamente diferente. Você se apropria de todo um contexto de simbologias e referências que não pertencem a você, logo, você apaga todo esse contexto, limitando e reduzindo esse grupo apenas à forma estética.

Indígena

Como falamos anteriormente, por mais que essa seja uma fantasia “comum”, ela não é legal. Por mais que seja “na melhor das intenções”, se apropriar de vestimentas e acessórios indígenas é desrespeitoso e existem outras maneiras para homenagear culturas (culturas, pois não existe apenas uma cultura indígena). Isso é um problema ainda maior quando pensamos que, normalmente, as fantasias vem atreladas a vários estereótipos. Existe uma visão de que indígenas são “selvagens” e “inferiores”, então, as pessoas que se fantasiam falam errado de propósito, se movem de maneiras não naturais e fazem piadas nada adequadas. Logo, o melhor é simplesmente buscar outra fantasia.

fantasia halloween indigena
Se fantasiar de indígena não é uma boa escolha (foto: reprodução)

Chinesa

Recentemente, viralizou um vídeo no TikTok (Rede social de vídeos curtos) onde uma usuária indicava aos seguidores uma fantasia de chinesa. Muitos não viram nada de errado, mas também é problemático. O uso dessas fantasias implica na apropriação cultural de costumes e vestimentas típicas, o que acaba por, novamente, reforçar estereótipos racistas.

Blackface

O blackface é uma prática racista. Dito isso, infelizmente, ela ainda é normal. Não se trata apenas de pintar seu rosto de uma outra cor, mas de ridicularizar pessoas negras. No início, era uma prática que era usada para entretenimento, onde pessoas brancas se pintavam com tinta preta e ridicularizavam costumes do povo preto, sempre agindo de forma exagerada. Logo, é ofensivo por pregar estereótipos racistas e nunca deve ser reproduzido.

Related posts

Primavera Sound anuncia edição em São Paulo

João Baricatti

Netflix: 3 lançamentos pra curtir no feriado!

João Baricatti

Criador do Rock In Rio defende que eventos barrem quem recusa vacina

Rafael Bruza

Leave a Comment