PORTAL DEMOCRACIA
Fake News Manchete Política

Fake news tira Bolsonaro do ar no Youtube por uma semana; CPI quer banimento

Youtube suspende Bolsonaro

O Presidente Jair Bolsonaro vai ficar uma semana fora do ar em seu canal do Youtube por prática de fake news. A decisão ocorreu porque Bolsonaro afirmou, em sua live semanal, que pacientes que já tomaram as duas doses da vacina contra a COVID estão contraindo AIDS na Inglaterra.

A CPI do COVID, que esta semana vota o relatório final, pretende pedir o banimento definitivo do capitão por chefiar a quadrilha que produz e dissemina notícias falsas para dar sustentação política a seu grupo de extrema-direita.

Esta não é a primeira vez em que o capitão que preside o Brasil é sancionado por espalhar notícias falsas. A informação mentirosa já havia gerado bloqueio semelhante do Facebook, que excluiu a publicação do perfil de Bolsonaro.

Em julho passado, ele teve 33 vídeos em que propalava o uso de remédios sem eficácia contra a COVID removidos de seu canal no Youtube. Logo depois, Bolsonaro foi sancionado por investir contra o uso de máscaras.

A plataforma explicou que a medida punitiva foi adotada porque o Presidente “violou as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a COVID-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas”

O Youtube informou que suas diretrizes “estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou de sua opinião política”.

Se persistir na prática de mentir sobre medidas farmacológicas ou não farmacológicas relativas ao controle ou suposta cura da COVID, Bolsonaro poderá ter o mesmo destino de seu guru Donald Trump. O ex-presidente dos EUA foi banido do espaço virtual e hoje tenta fundar a sua própria rede social de extrema-direita..

Com o degredo eletrônico, Trump viu cair drasticamente menções a ele no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube, que foram reduzidas em mais de 90%.

Para que isto ocorra com o Presidente brasileiro, ele terá que violar as regras do Youtube mais duas vezes em um espaço de 90 dias. Caso reincida, a próxima punição será a suspensão por duas semanas.

A CPI da COVID aponta Bolsonaro como chefe da milícia digital que produz notícias falsas para das sustentabilidade política ao movimento neofascista liderado por ele.

 

 

Related posts

Microsoft compra Activision Blizzard

João Baricatti

Lenio Streck responde críticas de Moro: “Péssimo exemplo de juiz”

Rafael Bruza

Projeto de Lei Mariana Ferrer é aprovado no Senado propondo punição a quem constrange vítimas em julgamentos

Rafael Bruza

Leave a Comment