PORTAL DEMOCRACIA
Esporte Internacional Manchete

Djokovic tem visto novamente cancelado e pode ficar fora do Australian Open

djokovic-tem-visto-novamente-cancelado-e-pode-ficar-fora-do-australian-open

Mais de uma semana após o tenista número 1 do mundo Novak Djokovic, ser barrado na alfândela da Austrália por não ter se vacinado contra a covid-19, o ministro da Imigração, Cidadania, Serviços a Imigrantes e Relações Multiculturais australiano, Alex Hawke, usou seus poderes pessoais para cancelar novamente o visto do atleta, que está em Melbourne para participar do Australian Open – e pode acabar fora do torneio.

Com a decisão do ministro, Djokovic pode ser deportado da Austrália caso não obtenha uma nova vitória judicial.  Ele era o cabeça de chave na competição e tenta conquistar seu décimo título do Grand Slam – a primeira partida seria contra o compatriota Miomir Kecmanovic.

Segundo o ministro, o visto foi cancelado com  base no interesse público “por motivos de saúde e ordem”.

“Hoje eu exerci o meu poder sob a seção 133C(3) da Lei de Migração para cancelar o visto detido pelo senhor Novak Djokovic por motivos de saúde e ordem, com base no interesse público de fazê-lo. Ao tomar esta decisão, considerei cuidadosamente as informações fornecidas a mim pelo Departamento de Assuntos Internos, pela Força de Fronteira Australiana e pelo senhor Djokovic”, alegou Alex Hawke, ministro da Imigração australiano, por meio de comunicado oficial.  “O governo de (Scott) Morrison [primeiro-ministro do país] está firmemente comprometido em proteger as fronteiras da Austrália, particularmente em relação à pandemia de covid-19″, acrescentou..

O primeiro ministro da Austrália, Scott Morrison, referendou a decisão.

“Tomo nota da decisão do ministro da Imigração em relação ao visto do senhor Novak Djokovic. Entendo que, após uma análise cuidadosa, o ministro tomou medidas para cancelar o visto por motivos de saúde e ordem, com base no interesse público. Essa pandemia tem sido incrivelmente difícil a todos os australianos, mas nos mantivemos juntos e salvamos vidas. Juntos alcançamos uma das taxas de mortalidade mais baixas, economia mais forte e taxa de vacinação mais altas do mundo. Os australianos fizeram muitos sacrifícios durante esta pandemia e esperam, com razão, que os resultados destes sacrifícios sejam protegidos”, comunicou o primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, por meio de nota.

A Austrália vive um surto descontrolado da variante ômicron, após ter tido sucesso em combater o vírus no início da pandemia. O país da Oceania registrou quase 1 milhão de novos casos de covid nas últimas 2 semanas.

Segundo o jornal The Sydmey Morning Herald, Novak Djokovic já planejava recorrer imediatamente à Justiça do país, caso o ministro da Imigração decidisse cancelar novamente seu visto. A defesa do sérvio acredita que a Justiça possa dar o parecer favorável ao tenista até domingo, permitindo que o número ele esteja em condições de jogar no Australian Open na próxima semana que vem.

O caso pode novamente cair com o juiz do Tribunal Federal do Circuito Anthony Kelly, que revogou o cancelamento do visto pela primeira vez, liberando Dkolovic do confinamento no hotel.

O tenista entrou no país em 5 de janeiro sem se vacinar, alegando que testou positivo para a covid-19 em 16 de dezembro. O estado de Victória, onde fica Melbourne e a sede do Australian open, determinou que apenas pessoas vacinadas poderiam entrar no país para jogar a competição.

Após uma confusão criada por más orientações da administação do torneio, Djokovic foi parado pela polícia alfandegária o desembarcar na Austrália e não apresentou todos os documentos necessários para justificar a entrada no território australiano – a principal ausência era do certificado de vacina.

O tenista teve o visto cancelado por apresentar risco para a saúde pública. Depois disso, ele passou a noite separado de sua equipe no aeroporto e foi posteriormente encaminhado para um hotel onde ficou os dias seguintes cancelados.

Segundo o jornal local Daily Telegraph, o governo australiano poderia decretar a prisão do sérvio por ele ter mentido ao preencher o formulário para entrar no país.

O periódico informou que o sérvio fez uma “declaração falsa” ao informar que não viajou 14 dias antes de voar para Melbourne, além de não ter cumprido isolamento necessário. Todos os viajantes são questionados sobre deslocamentos anteriores, e podem ser punidos caso apresentem “informação enganosa”.

Na semana passada, o sérvio conseguiu sair do confinamento no hotel após ter o cancelamento de seu visto suspenso na Justiça, em decisão do juiz do Tribunal Federal do Circuito, Anthony Kelly.

Mas ainda existia a possibilidade de que o ministro da Imigração do país decidisse cancelar o visto do tenista usando seus poderes especiais.

Caso o tenista seja de fato deportado, será substitudo no torneio por algum tenista derrotado ao longo das classificações do torneio.

Com a decisão, o tenista pode acabar impedido de buscar o recorde de 21 títulos de Grand Slam – atualmente ele está empatado neste índice com Roger Federer, tendo 20 taças cada.

Related posts

Iris Rezende, ex-governador de Goiás, morre aos 87 anos, após AVC

Rafaele Oliveira

Falta de saneamento básico mata 11 mil pessoas por ano, aponta IBGE

João Baricatti

Ômicron: primeira morte é confirmada no Brasil

João Baricatti

Leave a Comment