PORTAL DEMOCRACIA
Brasil Manchete

Desmatamento na Amazônia é o maior desde 2006

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), órgão oficial do governo federal, a taxa de desmatamento da Amazônia aumentou 21,97% em um ano, o maior registrado desde 2006. O anúncio desses dados foi feito na tarde da última quinta-feira (18).

Segundo o Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite-Prodes, braço do INPE, a Amazônia perdeu 13,235 mil km² no último ano. Essa é a terceira alta consecutiva durante o governo de Bolsonaro (sem partido), que desde que assumiu, em 2018, vê esse índice aumentar anualmente.

queimadas amazônia
Queimadas na Amazônia estão subindo desde que Bolsonaro assumiu. (Imagem: Reprodução/BBC)

De todos os estados com Amazônia, o que foi mais afetado pelo desmatamento, em variação percentual,  foi o Amapá, que passou de 24 km² desmatados em 2020 para 39 km² em 2021, uma variação de 62,5%. Proporcionalmente, o mais afetado foi o Amazonas: 2.347 km² de terra foram desmatadas, um aumento de 55,22%. Mesmo que seja um levantamento preliminar (o absoluto deve sair no primeiro trimestre de 2022), ele já pode dar uma ideia do que esperar.

Outro estado extremamente afetado pela exploração e desmatamento da Amazônia Legal é o Pará. 5.257 km² do estado foram desmatados e ele segue líder na lista, sendo responsável por pouco menos que 50% de todo o desflorestamento brasileiro da Amazônia.

Brasil na COP26

Os dados são de 27 de outubro, mas sua divulgação só acontece poucos dias depois do fim da COP26, conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, da qual o Brasil participou. Inclusive, nele assinamos um acordo que prevê zerar o desmatamento até 2030.

A informação repercutiu muito em jornais internacionais. Um destaque fica para a BBC, publicação do Reino Unido, que destacou o fato da Amazônia “abriga cerca de três milhões de espécies de plantas e animais e um milhão de indígenas”, além de ressaltar a revelação dos dados poucos dias depois do fim da COP26

 

 

Related posts

Marighella: Frias e Eduardo Bolsonaro afirmam não respeitar Wagner Moura

Rafaele Oliveira

Apesar de dívida bilionária, Rede Globo está bem financeiramente, diz Fitch

Rafaele Oliveira

Rogério Carvalho, Bruno Salles, Antônio Neto e Fábio trad abordam Ciro Gomes, CPI, Pec dos Precatórios no Despertador

Bruna Pannunzio

Leave a Comment