PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Política

Deltan Dallagnol: aumento de patrimônio e possível filiação ao Novo

deltan dallagnol

Em reportagem escrita por Luis Nassif, do GGN, no último domingo (28), o jornalista denunciou o abrupto aumento patrimonial do procurador do Ministério Público Federal e coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. No texto, Nassif relembra de um episódio, revelado pelo Brasil247, que em setembro em 2018, quando o Brasil vivia o calor das eleições e a febre lavajatista estava em seu auge, o paranaense teria comprado um apartamento em um prédio de luxo em Curitiba, Paraná. O imóvel foi comprado por R$ 1,8 milhão de reais, abaixo do preço de mercado, e pago em apenas duas parcelas.

Em julho de 2021, a esposa de Deltan, Fernanda Mourão Ribeiro Dallagnol, adquiriu mais um apartamento no mesmo prédio. Dessa vez por R$ 2,1 milhões, em um leilão judicial. Uma das questões que Luis Nassif buscou entender em sua reportagem era como Deltan bancava o condomínio, já que, apenas taxas padrão do condomínio somavam mais de R$ 10 mil reais.

Dallagnol patrimônio
Deltan parece ter seguido planos criados no passado (Imagem: Lula Marques)

Já em junho, diversas empresas foram abertas por parentes próximos de Dallagnol no mesmo dia. Elas foram abertas nos nomes de Élida, sua irmã, Agenor Dallagnol, pai  e Vilse Salete Martinazzo Dallagnol, mãe. Foram elas:

  • Breakout Comércio de Confecções Eireli. Aberta no nome de  Edelis.
  • Chelsea Comércio de Confecções Ltda, com capital social de R $250.000,00. Aberta por Edelis e Sofia Ribeiro Dallagnol.
  • Sunray Comércio de Confecções Ltda, com capital social de R$ 350 mil. Aberta por  Vilse e Agenor
  • Cherish Comércio de Confecções Eirelli, com capital social de R$ 450 mil. Aberta por  Édelis e Vilse,

No fim de junho, Fernanda Dallagnol abriu a Delight Consultoria Gerencial e Empresarial Eirelli, com capital social de R$ 110 mil. Poucos dias depois, ela adquiriu um escritório para a empresa, avaliado em R$ 143 mil.

Nassif relembra que, durante a “Vaza Jato”, comandada pelo Intercept, em 2019, foram divulgadas conversas que revelavam a intenção de Dallagnol criar empresas para “lucrar” na fama e atenção que ganhou durante a Operação Lava Jato. “No material divulgado pela Vaza Jato. Deltan antecipava seus planos de montar novos negócios em nome de terceiros, para não despertar críticas. Ele e o colega Roberto Pozzobon montaram um grupo de WhatsApp exclusivamente para discutir os novos negócios. Nas discussões planejam uma empresa de eventos, mas colocado em nome das esposas.”, aponta o jornalista.

Filiação de Deltan Dallagnol ao NOVO

Segundo coluna do Estadão, Dallagnol poderia estar de partida para o NOVO. De acordo com amigos próximos de Deltan, ele tem medo de encontrar no PODEMOS, partido que deve se filiar, “gente que não comunga de suas teses”. Uma dessas principais teses seria a anticorrupção. Nisso, o Partido NOVO é visto como uma das possibilidades para o ex-coordenador da Lava Jato. Renato Abreu, presidente do NOVO, queria que Dallagnol, quando se juntasse ao PODEMOS, formasse chapa com Sérgio Moro.

Related posts

Policiais mandam manifestantes abaixarem faixas ‘Fora Bolsonaro’ e ameaçam prendê-los por desobediência

Rafael Bruza

Aras abre investigação preliminar contra Bolsonaro. Ou seja: quase nada!

Fabio Pannunzio

Joaquim Leite: “Usaremos toda a força do Estado (contra desmatamento)”

João Baricatti

Leave a Comment