PORTAL DEMOCRACIA
Brasil Manchete

Conselho universitário recomenda expulsão de aluna que ironizou morte de paciente

paciente comissão estudante expulsa

O conselho universitário do Centro Universitário Cesmac recomendou para a faculdade, nesta quarta-feira (16), a expulsão da estudante de medicina que ironizou a morte de uma paciente em uma de suas redes sociais. A aluna estava de plantão na Unidade Mista Dr. José Carlos de Gusmão, em Marechal Deodoro, Alagoas. O professor Douglas Apratto Tenório, vice-reitor da universidade, confirmou a informação ao g1 nesta manhã.

Segundo Apratto, o conselho universitário enviou um parecer para a reitoria da universidade com a recomendação. A universidade já instaurou uma comissão de sindicância para apurar o caso, que deve ser concluído dentro do período de um mês. A aluna poderá apresentar uma defesa.

Essa foi a primeira vez que o conselho universitário se posicionou pelo desligamento de um aluno. Cabe ressaltar que a instituição não compactua com o posicionamento da aluna, mas sabemos que hoje as pessoas usam as redes sociais de diversas formas e que muitas vezes postam coisas que não deveriam ser publicadas“, disse Apratto.

Mesmo com a recomendação do conselho, Apratto ressalta que isso não significa que a aluna será expulsa. “Ainda no âmbito do conselho a estudante e seus pais foram ouvidos, mas é necessário que a comissão de sindicância ouça a aluna e que ela possa apresentar sua defesa de forma ampla”, afirmou.

douglas professor conselho
O professor Douglas Apratto Tenório, vice-reitor da universidade e membro do conselho (Imagem: Reprodução)

Família da paciente deve entrar com processo contra a estudante

A paciente que teve sua morte ironizada pela estudante se chama Lenilda Silva Nunes e tinha 62 anos. Ela deu entrada no hospital alegando dores no peito e, pouco tempo depois, acabou falecendo. Segundo Luciana Omena, advogada que representa a família, eles vão entrar com processo.

O que ocorreu foi absurdo. Estou analisando os detalhes do ocorrido para, junto com a família, decidir o que faremos judicialmente“, disse Omena.

Aline dos Santos Moreira, nora de Lenilda, relatou o atendimento realizado pela estudante: “Fizemos todo o protocolo e depois da triagem, a estudante de medicina pediu para que a gente entrasse na sala. Ela estava com muita cara de sono, calada. Eu fui logo dizendo que ela [dona Lenilda] estava com muita dor no peito. E a estudante de medicina continuou calada, não esboçou nenhuma reação. Em seguida, acredito que ao ouvir os gritos da minha sogra, o médico abriu a porta e já foi dando as devidas providências. Pegou ela e já foi mandando ir para outra sala e pediu para eu me retirar“.

A estudante foi desligada do estágio.

Related posts

Furar o teto de gastos traz “consequências graves”, diz Meirelles

Rafael Bruza

Bloomberg diz que Lula recebe “calorosa” boas-vindas da Europa, “ao contrário de Bolsonaro”

Rafael Bruza

Prefeita de Ubatuba nega ataques de tubarão na região

João Baricatti

Leave a Comment