PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Política

Ciro Gomes se diz alvo de ordem judicial abusiva e aponta PF ‘subordinada’ a Bolsonaro

ciro-gomes-se-diz-alvo-de-ordem-judicial-abusiva-e-aponta-pf-subordinada-a-bolsonaro

O pré-candidato do PDT à Presidência da República Ciro Gomes comentou nas redes sociais a operação da Polícia Federal desta quarta-feira (15) que tem ele como um dos alvos. Em publicações m seu perfil de Twitter, Ciro afirmou que a PF está “subordinada” ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e classificou a ordem judicial que autorizou a operação como “abusiva”.

“Até esta manhã eu imaginava que vivíamos, mesmo com todas imperfeições, em um país democrático. Mas depois da Policia Federal subordinada a Bolsonaro, com ordem judicial abusiva de busca e apreensão, ter vindo a minha casa, não tenho mais dúvida de que Bolsonaro transformou o Brasil num Estado Policial que se oculta sob falsa capa de legalidade.”

O presidenciável e seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT-CE) foram alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal contra um suposto esquema de fraudes, exigências e pagamentos de propinas a agentes políticos e servidores públicos decorrentes de procedimento de licitação para obras no estádio Castelão, em Fortaleza (CE), entre os anos de 2010 e 2013.

Na decisão de 92 páginas que autoriza a Polícia Federal a cumprir mandados de busca, o juiz Danilo Dias Vasconcelos de Almeida afirma que os irmãos Gomes receberam propinas de empresários da Galvão Engenharia. A informação é da coluna Radar, na revista Veja.

“Os empresários (da Galvão Engenharia) realizaram/promoveram pagamentos sistemáticos de propinas, muitas vezes disfarçadas de doações eleitorais, ao então Governador do Estado do Ceará, CIO FERREIRA GOMES, e a seus irmãos CIRO FERREIRA GOMES e LÚCIO FERREIRA GOMES, para viabilizar/agilizar pagamentos de obras e serviços de engenharia contratados pelo Governo do Estado do Ceará com a empresa, bem como, previamente, para garantir a vitória da Construtora nos correlatos procedimentos licitatórios, mediante o pagamento de propinas aos advogados que ocuparam sucessivamente o cargo de Procurador Geral do Estado do Ceará — PGE à época dos fatos, FERNANDO ANTONIO OLIVEIRA e JOSÉ LEITE JUCÁ FILHO, tendo ambos funcionado no certame licitatório da Arena Castelão, figurando seguidamente como presidentes da Comissão Central de Concorrências do Estado do Ceará onde tramitou o certame”, registra a decisão.

Na série de tuítes, Ciro afirma que a o caso “chega a ser pitoresco”.

“O pretexto era de recolher supostas provas de um suposto esquema de favorecimento a uma empresa na licitação das obras do Estádio do Castelão para a Copa do Mundo de 2014”, afirma. “Chega a ser pitoresco. O Brasil todo sabe que o Castelão foi o estádio da Copa com  maior concorrência, o primeiro a ser entregue e o mais barato construído para Copas do Mundo desde 2002. Ou seja, foi o estádio mais econômico e transparente já feito para a Copa do Mundo”.

Na sequência, Ciro nega envolvimento em ilegalidades.

“Não tenho nenhuma ligação com os supostos fatos apurados. Não exerci nenhum cargo público relacionados com eles. Nunca mantive nenhum tipo de contato com os delatores. O que, aliás, o próprio delator reconhece quando diz que NUNCA me encontrou”, declarou.

“Tenho 40 anos de vida pública e nunca fui acusado nem processado por corrupção. Não tenho dúvida de que esta ação tão tardia e despropositada tem o objetivo claro de tentar criar danos à minha pre-candidatura à presidência da republica. Da mesma forma tentaram 15 dias antes do primeiro turno da eleição de 2018”, afirma. “O braço do estado policialesco de Bolsonaro, que trata opositores como inimigos a serem destruídos fisicamente, levanta-se novamente contra mim”.

O pedetista conclui dizendo que processará quem tenta o “atacar”.

“Nuca me senti um cidadão acima da lei, mas não posso aceitar passivamente ser tratado como um subcidadão abaixo da lei. Sou um homem do embate, do combate e do Direito. Essa história não ficará assim. Vou até as últimas consequências legais para processar aqueles que tentam me atacar. Meus inimigos nunca me intimidaram e nunca me intimidarão. NINGUÉM VAI CALAR A MINHA VOZ”, conclui Ciro.

Related posts

Luiz Fux autoriza prisão dos condenados pelo incêndio na boate Kiss

Rafaele Oliveira

‘Carro dos Flinstones’ anda por Maringá em protesto contra preço dos combustíveis

Rafael Bruza

China e Rússia fecham parceria “sem limites”

João Baricatti

Leave a Comment