PORTAL DEMOCRACIA
Cultura Internacional Manchete

Bono revela que se sente ‘envergonhado’ com músicas do U2 e não gosta do nome da banda

bono-diz-que-se-sente-envergonhado-com-musicas-do-u2-e-nao-gosta-do-nome-da-banda

O cantor Bono Vox (61 anos) passou os últimos 46 anos liderando a banda U2, escrevendo e cantando hits de sucesso que o levaram à fama em escala mundial. Mas décadas após o início destes trabalhos, o vocalista revelou em entrevista ao podcast Award Chatter que se sente envergonhado com a maioria das músicas da banda e que não gosta do nome U2.

“Eu já estive no carro quando alguma de nossas músicas entrou na rádio e eu fiquei da cor de, como dizemos em Dublin, escarlate (um tom de vermelho com uma matiz pendendo para a cor laranja). Eu fico simplesmente tão envergonhado”, afirmou Bono. “O que eu mais ouço é ‘Miss Sarajevo’ com Luciano Pavarotti. Genuíno, a maioria das outras (músicas) me faz estremecer um pouco”.

Sobre não gostar do nome U2, Bono afirmou que foi o primeiro empresário da banda, Paul McGuiness, que convenceu o quarteto a manter o nome dizendo que era “ótimo”.

Mas o cantor ainda tem certa aversão à ideia.

“Não, não gosto desse nome. Eu ainda não gosto muito do nome”, afirmou Bono.

O nome U2 é um trocadilho com a expressão “You Too” – em tradução livre, significa “você também”.

Na entrevista, Bono deixou claro que não curte o nome da banda.

“Eu realmente não gosto. Mas eu entrei tarde em algum tipo de dislexia. Eu não percebi também que The Beatles era um trocadilho ruim. Na nossa cabeça era como o avião espião, U-boat, era futurístico — conforme passou a implicar esse tipo de aquiescência, não, eu não gosto desse nome. Eu ainda realmente não gosto do nome”.

O vocalista também lembrou de uma “crítica construtiva” que o cantor britânico Robert Palmer realizou ao baixista do U2, Adam Clayton, nos anos 80.

“‘Meu Deus, você poderia falar ao seu vocalista para só abaixar o tom um pouquinho? Ele estaria fazendo um favor a si mesmo e fazendo um favor a todos nós que temos que ouvi-lo’”, relatou Bono, citando Palmer. “Mas eu estava pensando fora do meu corpo. Eu não estava pensando em cantar. Eu não pensava, na verdade, sobre mudar de tom. Nós chegamos a mudar de tom alguma vez?”

Bono ressaltou, no entanto, que as críticas são dirigidas majoritariamente a ele mesmo. O vocalista afirmou que a “banda soa incrível” e relatou que se culpa até hoje por não “preencher os detalhes” do disco de estreia do grupo, chamado Boy (1980), que segundo ele tem “material muito único e original”.

Apesar das ressalvas, ele procurou naturalizar a vergonha no meio artístico.

“Eu acho que o U2 comanda bastante o barco da vergonha, e talvez esse seja o lugar que você quer estar como artista, sabe? Bem no limite do seu nível de vergonha”, afirmou ele.

Apresar das críticas, Bono frisou que a canção “Vertigo” de 2004 é a que ele tem mais orgulho por conta da “forma como ela se conecta com o público”.

Related posts

Moro afirma que muita coisa sobre o Governo Bolsonaro vai aparecer

João Baricatti

Bell Hooks, escritora e ativista do feminismo negro, morre aos 69 anos

Rafaele Oliveira

AWS: Falha no Amazon Web Services derruba Ifood, Disney+ e outros sites

Rafaele Oliveira

Leave a Comment