PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Política

Bolsonaro trata distribuição gratuita de absorventes como “Auxílio Modess”

bolsonaro-trata-distribuicao-gratuita-de-absorventes-como-auxilio-modess

Em live nesta quinta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ironizou o projeto de lei que previa a distribuição gratuita de absorventes para estudantes da rede pública e mulheres em situação de vulnerabilidade.

Ele sancionou o projeto na semana passada, mas com vetos na proposta de distribuir os absorventes gratuitamente.

A decisão gerou uma onda de críticas ao Governo. Opositores prometem derrubar o veto no Congresso.

Diante disto, o presidente afirmou que está “torcendo” para que seus vetos sejam derrubados e voltou a dizer que que pegaria recursos nas áreas da Saúde e Educação para bancar o programa.

“A gente vai se virar e vamos aí estender o ‘auxílio Modess’ – é isso mesmo, ‘auxílio Modess’, absorvente?– para todo mundo”, afirmou.

Veja mais em Política: Bolsonaro diz que chora sozinho no banheiro: “Uma decisão minha mal tomada, muita gente sofre”

“Se o Congresso derrubar o veto –estou torcendo para que derrube–, eu vou arranjar absorvente. Porque não vai ser gratuito, pessoal. Calcularam aqui um pouco mais de R$ 100 milhões. Pode ter certeza, vai multiplicar por três isso daí, vou ter que arranjar R$ 300 milhões de algum lugar. Eu não vou criar imposto para suprir isso aí, nem majorar imposto. Eu vou tirar de algum lugar. Agora a imprensa vai bater em mim que ‘[Bolsonaro] cortou da Saúde, da Educação’, [mas] não vai dizer para onde foi. Vai ser para atender a derrubada do veto dos absorventes”, afirmou.

De acordo com a proposta, os recursos para a distribuição gratuita de absorventes sairiam do orçamento para atenção primária do Sistema Único de Saúde (SUS), e do Fundo Penitenciário, no caso das mulheres detidas.

‘Nas ruas, usam miolo de pão’ de absorvente

Em entrevista ao G1, a professora Yvonne Bezerra de Mello, à frente do instituto Uerê, projeto educativo na favela da Maré, explicou a situação de mulheres que não têm condições de combrar absorventes.

“O absorvente custa muito caro. Para quem vive com auxílio de R$ 280, paga R$ 120 em um botijão de gás, como vai comprar absorvente? Nas ruas (pessoas em situação de rua), usam miolo de pão, pedaços de pano de chão, que têm poder de absorção. É um item de luxo apesar de ser absolutamente necessário”, diz a professora.

Opositores reagem à declaração de Bolsonaro

Nas redes sociais, políticos e influenciadores criticaram a declaração de Jair Bolsonaro.

“Esse cara é um monstro!”, afirmou o advogado Augusto de Arruda Botelho.

Também houve repercussão no Congresso Nacional.

“Ao debochar do projeto de saúde menstrual – a que chamou de “auxílio modess”- Bolsonaro, entre risadas, retorna ao leito de sua notória frivolidade. Se houvesse algum absorvente de falas toscas, ele faria jus a muitos pacotes. Assim, em silêncio, nos pouparia de suas idiotices”, afirmou o deputado federal, Fábio Trad (PSD-MS).

“A sordidez de Bolsonaro não tem limites”, afirmou o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP). “Até quando esse monstro ficará impune espalhando sofrimento ao povo? É revoltante!”

 

Related posts

Elon Musk é eleito “Pessoa do Ano” da revista “Time”

João Baricatti

Eduardo Bolsonaro relaciona cratera do Metrô à contratação de mulheres

João Baricatti

Aras abriu investigação preliminar contra Bolsonaro para dizer que não prevaricou, avalia jurista

Rafael Bruza

Leave a Comment