PORTAL DEMOCRACIA
Educação Manchete Política

Bolsonaro diz que padrão do Enem é de “ativismo político” (Vídeo)

bolsonaro-diz-que-padrao-do-enem-e-de-ativismo-politico

Em meio à denúncias de interferências do Governo Federal na produção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) questionou a jornalistas brasileiros no Catar nesta quarta-feira (17) se o “padrão” do Enem mede “algum conhecimento” ou é mero “ativismo político”.

O presidente está de viagem oficial no Oriente Médio. Ele passou por Dubai e Bahrein antes de visitar o Catar.

“Olha o padrão do Enem do Brasil, pelo amor de Deus. Aquilo mede algum conhecimento, ou é ativismo político? Ativismo da questão comportamental? A gente não precisa disso”, afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro também afirmou que não viu as questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano.

“Não, não vi. Eu não vejo, não tenho conhecimento”, respondeu Bolsonaro.

A declaração contradiz fala do próprio Bolsonaro, realizada na segunda-feira (15), quando ele afirmou que o Enem começa agora a “ter a cara” do governo.

Na ocasião, Bolsonaro também declarou também que “ninguém precisa estar preocupado com aquelas questões absurdas do passado”.

Governo Bolsonaro censurou perguntas do Enem 2021

Através da pressão sobre servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e da impressão preliminar de provas – feita para permitir que mais pessoas tenham acesso ao exame antes da aplicação – o Governo Bolsonaro já cortou questões consideradas “sensíveis” do próximo Enem.

A situação gerou uma crise no Inep e fez com que 37 servidores do órgão pedissem demissão na semana passada, denunciando ambiente de assédio moral, pressão e interferência sobre o Enem.

Segundo servidores, as perguntas censuradas tratavam de conhecimentos do contexto sociopolítico e socioeconômico do Brasil.

“Eram questões que tratavam principalmente da história recente do país, dos últimos 50 anos. Sob o ponto de vista da equipe técnica, não havia qualquer reparo pedagógico a ser feito na primeira versão da prova”, relatou ao Fantástico da TV Globo um servidor do Inep.

Related posts

Explicando uso de termos pejorativos, Bolsonaro repete o erro: “Cabeçudo”

Rafaele Oliveira

Bolsonaro: “Amanhã somos todos Flamengo”

João Baricatti

Silvio Santos terá que pagar R$ 4 milhões a Rachel Sheherazade, entenda

Rafaele Oliveira

Leave a Comment