PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Pandemia Saúde

Anvisa autoriza Coronavac para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos

vacinação covid relatório ministério

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nessa quinta-feira (20) que, a partir de agora, m crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos podem ser vacinados com doses da vacina Coronavac. No entanto, a agência optou por vetar a aplicação da vacina em pessoas dentro dessa faixa etária que são consideradas imunossuprimidos.

A decisão pela liberação da vacina foi unânime entre todos os diretores da Anvisa (os cinco foram favoráveis) e foi tomada após pedido do Instituto Butantan, que tinha solicitada para a agência a liberação do imunizante para crianças e adolescentes. Em seu pedido, o Butantan solicitava a liberação da vacina para crianças a partir de 3 anos, mas a Anvisa achou melhor esperar mais estudos sobre a ação das vacinas em crianças menores de 6 anos para a liberação.

O primeiro pedido de liberação aconteceu em julho de 2021, mas foi negado pela Anvisa, que alegou falta de estudos. O segundo foi apresentado em dezembro do ano passado, agora com mais estudos, a agência aprovou a solicitação do Butantan e a Coronavac poderá ser aplicada em crianças e adolescentes.

Para o grupo de crianças e adolescentes, a imunização com a CoronaVac deve seguir da mesma maneira que seguiu com os adultos:

  • Primeiramente deve ser liberada para o público com comorbidades e deficiências (doenças ou condições prévias que agravam a Covid-19);
  • A imunização deve acontecer, na primeira “etapa”, em duas doses. Essas doses tem um intervalo de 28 dias;
  • Não existe adaptação na dose. A dose para esse público é a mesma que é a aplicada nos adultos;
  • Por enquanto, não existe data para o começo da aplicação dessas doses. O calendário depende da logística da cidade/estado.
      gripeCoronaVac poderá ser aplicada em crianças e adolescentes | Foto: Reprodução/ Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

O que  são considerados imunossuprimidos?

Os imunossuprimidos (ou imunocomprometidas) são pessoas com baixa imunidade. Esse grupo inclui, por exemplo, pessoas com câncer, pessoas que vivem com HIV, pessoas com orgãos transplantados.

São considerados imunossuprimidos, pelo Ministério da Saúde:

  • Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea;
  • Pessoas com HIV e CD4 <350 células/mm3;
  • Pessoas com doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida;
  • Pessoas em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias;
  • Pessoas com neoplasias hematológicas;
  • Pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses.

Related posts

Iris Rezende, ex-governador de Goiás, morre aos 87 anos, após AVC

Rafaele Oliveira

Pré-candidato do PSDB, Doria fala em “possível” aliança com Moro

Rafael Bruza

Medicamento contra câncer pode ajudar a eliminar vírus HIV, indica estudo

João Baricatti

Leave a Comment