PORTAL DEMOCRACIA
Cultura Manchete

Academia Brasileira de Letras: Eduardo Giannetti é eleito novo imortal

eduardo giannetti

Depois da atriz Fernanda Montenegro, do cantor Gilberto Gil, do neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho e do advogado José Paulo Cavalcanti Filho, foi a vez do escritor Eduardo Giannetti ser eleito imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL). Em uma votação acirrada – que precisou ir para um segundo turno -, Giannetti foi o escolhido para ocupar a cadeira 2, que pertencia ao filósofo Tarcísio Padilha.

Onze concorrentes disputaram a última vaga de imortal da ABL: Eduado Giannetti, Sergio Bermudes, Gabriel Chalita, Samia Macedo, Antônio Helio da Silva, José Humberto da Silva Henriques, Eloi Angelos Guio D’Aracosia, Jeff Thomas, José William Vavruk, Joana Rodrigues e Alexandre Figueiredo.

fernanda montenegro
A atriz Fernanda Montenegro também foi eleita imortal da ABL, ocupando a cadeira de número 17. | Foto: Reprodução EURIVALDO BEZERRA

Eduardo Giannetti é eleito novo imortal da Academia Brasileira de Letras

No primeiro turno de votações, 34 acadêmicos participaram da sessão híbrida – 1 não votou, por motivo de saúde -, que aconteceu no Petit Trianon, sede da Academia, localizada no Rio de Janeiro. Giannetti teve 15 votos, contra 15 de Sergio Bermudes e 8 de Gabriel Chalita. Diferentemente das outras eleições da ABL, que ocorreram neste ano, a votação da cadeira 2 precisou seguir para um segundo turno Nesta, Giannetti recebeu 18 votos, ficando com a vaga.

Eduardo Giannetti é mineiro e tem 64 anos. Economista, professor, autor e palestrante formado na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) e em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) ambas da Universidade de São Paulo, o novo imortal da ABL também possui doutorado em Economia pela Universidade de Cambridge (1987).

Autor de dezessete livros, dos quais dois ganharam o Prêmio Jabuti – Vícios Privados, Benefícios Públicos?, de 1993 e As Partes & O Todo, de 1995 -, Giannetti também foi vencedor do prêmio Economista do Ano, pela Ordem dos Economistas de São Paulo, em 2004. Durante as campanhas presidenciais de 2014, 2018 e  2020, foi assessor econômico de Marina Silva, responsável por elaborar os seus planos econômicos.

Eduardo Giannetti agora ocupa a cadeira 2 da Academia Brasileira de Letras, substituindo Tarcício Padilha. Antes de Padilha, a mesma cadeira foi ocupada por Coelho Neto, seu fundador, João Neves da Fontoura, João Guimarães Rosa e Mário Palmério.

Related posts

Prefeitura de Lençóis Paulista suspende vacinação infantil após criança sofrer parada cardíaca

Rafael Bruza

Sidney Poitier, primeiro ator negro a ganhar o Oscar, morre aos 94 anos

Rafaele Oliveira

Maioria no STF vota a favor das federações partidárias

João Baricatti

Leave a Comment