PORTAL DEMOCRACIA
Manchete Pandemia Política

“A vacina mata”, gritam bolsonaristas (mentindo) na Câmara de Campinas

a-vacina-mata-gritam-bolsonaristas-mentindo-na-camara-de-campinas

Gritando “a vacina mata”, um grupo de cerca de 40 bolsonaristas realizou um protesto na Câmara Municipal de Campinas (SP) nesta segunda-feira (08) contra o passaporte da vacina, que é debatido na cidade.

As acusações de que vacinas contra a covid-19 geraram mortes no Brasil são falsas. Inúmeras notícias falsas e boatos publicados por sites bolsonaristas foram desmentidas nos últimos meses – veja exemplos “aqui”, “aqui” e “aqui”.

Levantando bandeiras de Israel e do Brasil, os manifestantes gritaram “liberdade” e ‘fora comunismo”.

O grupo de bolsonaristas radicais contra vacina apoiam o vereador Nelson Hossri (PSD), que tenta aprovar um projeto de lei na cidade que proíbe a Prefeitura de exigir comprovante de vacinação contra a covid-19 em lugares públicos.

Vereador da oposição, Gustavo Petta (PCdoB) criticou os manifestantes.

“É a escória da sociedade. Estamos na luta contra os negacionistas pelo passaporte da vacinação”, afirmou o vereador.

A exigência de comprovante de vacinação chegou a ser aplicada em Campinas para cinemas, teatros, missas e cultos, de acordo com nota técnica do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) divulgada na última quinta-feira (04).

Mas, um dia depois, o Devisa resolveu excluir a exigência do passaporte da vacina para estes locais. Com a decisão, a exigência de comprovante de vacinação passou a ser facultativa nestes estabelebimentos, mas continua valendo para atividades que “pela sua natureza, gerem aglomeração”.

Os manifestantes extremistas da Câmara de Campinas apoiam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que já realizou diversas declarações contra a vacina.

Recentemente Bolsonaro virou notícia no mundo todo ao mentir dizendo que vacinas contra a covid-19  podem causar Aids em quem se imuniza.

Bolsonararistas são acusados de racismo

O vereador Gustavo Petta também acusou manifestantes bolsonaristas de realizar ofensas racistas contra a vereadora negra, Paolla Miguel (PT). Ela foi chamada de “preta lixo”, segundo Petta.

Na tribuna, o vereador realizou um discurso em que aborda o racismo dos manifestantes e prometeu levantar as gravações da Câmara Municila de Campinas para identificar os responsáveis pelas agressões.

“Racismo é crime e quem cometeu racismo aqui, que tenha coragem de vir aqui cometer racismo, porque está envergonhado, acovardado. Atrás da máscara, atrás do coletivo, é muito fácil”.

Related posts

Mercado financeiro enlouquece com adesão de Guedes ao populismo eleitoral de Bolsonaro

Fabio Pannunzio

STJ autoriza volta de prisões em regime fechado por dívida alimentícia

João Baricatti

Moro sobre Lula e Alckmin: “comemorativo da impunidade da grande corrupção”

Rafaele Oliveira

Leave a Comment